segunda-feira, 25 de abril de 2022

Pequenas coisas (REPUBLICAÇÃO).

Agora que o assunto "Abrigo da Montanha" volta a ser abordado após anos de total desprezo e abandono, republico uma das algumas chamadas de atenção que no passado fiz a este propósito, no consulado de outros intervenientes.

Mantenho a esperança de que algo seja feito. Deposito mais esperança nos actuais protagonistas mesmo não tendo votado neles.


 A paisagem que se avista do Abrigo da Montanha de Oeste a Leste, é das mais bonitas que já tive o prazer de gozar. 

Actualmente encontra-se obstruída, assim:



Mas já foi assim em tempos não muito distantes:

As questões que se prendem com a compressão dos direitos privados, é matéria sensível, e por isso deve ser abordada com a maior ponderação, privilegiando a solução que menos "agrida" tais direitos, mas sempre solucionando o "problema" público adjacente.

A reposição da vista do Abrigo da Montanha deveria ser encarada como um objectivo de qualquer presidente da C.M.F.F. e igualmente de qualquer presidente da Junta de Buarcos. Aparentemente, não o é. A realidade é demonstrativa.

Tenho a certeza que é fácil saber quem é o dono do terreno onde se situam os eucaliptos que obstruem a vista. Tenho a certeza que quem quer que seja, será seguramente sensato e se disporia a conversar e ouvir os autarcas. Tenho a certeza que uma solução para o respectivo corte poderia ser alcançada com diálogo. Tenho a certeza que se a sensatez não imperasse, a lei e o interesse público poderiam colmatá-la. Gostaria de ter a certeza que os autarcas já pensaram nisso, e estão neste momento a estudar a forma de tornar novamente acessível a vista que se alcança do Abrigo da Montanha na Serra da Boa Viagem. Gostaria sobretudo que as minhas certezas se tornassem...certas e concretas.


Se não pensaram nisso, fica a minha humilde sugestão. Se já tentaram e não conseguiram, informem, expliquem porque é que não, ficando cientes de que há munícipes dispostos a dar o seu contributo  à coisa pública, como é o meu caso.


Não é uma crítica ( por agora ). É uma sugestão.


Vamos lá, senhores Presidentes?

quarta-feira, 5 de janeiro de 2022

Vira 26 de Setembro, toca o mesmo?

 Já lá vão mais de 3 meses desde a eleição de um novo elenco na Junta e na Câmara.


Eu não noto qualquer actividade, qualquer iniciativa, qualquer abordagem aos erros e/ou omissões dos anteriores.


Mais do mesmo?


Se a crítica for injusta ou revelar desconhecimento, convido a sra. Pesidente a rectificar a injustiça ou a colmatar a falta de informação do subscritor.


Os comentários estão e sempre estiveram abertos.


Aguardo...

terça-feira, 16 de novembro de 2021

Não é fixação minha, mas sim uma desgraça à espera de acontecer!

 Em tempo,  respondeu-me o então Presidente da CMFF que a segurança estava acautelada na curva do cemitério de Buarcos, através das lombas,  do piso Corsafe,  das indicações e limitações na sinalização no local e, de certeza,  também da protecção da Virgem Maria. 

Mais um acidente,  violento,  no sentido Figueira - Buarcos com a viatura a parar do lado contrário,  e a desfazer uns bons metros de muro. 

Foi excesso de velocidade a uma hora com pouco movimento naquele passeio onde passam milhares de pessoas por dia?  Quase de certeza. 

 

Mas podia ser a uma hora onde aquele passeio estivesse com gente, comigo,  com as minhas netas,  com os meus pais,  com o meu filho,  com o ex-presidente,  o actual presidente,  ou alguém a quem eles queiram bem,  que conheçam ou simplesmente qualquer cidadão cuja segurança naquele local é uma obrigação de quem governa. 


Não me digam é que a segurança está garantida ou que a colocação de rails de protecção fere a estética do local. 


Tratem de fazer tudo o que podem, JÁ!  

Repito: JÁ! 


Quando (não é se! ) houver uma desgraça,  seja de quem for,  garanto que haverá gente que não deixará de vos responsabilizar,  e não,  não será com um post no facebook. 


Fica o rogo.  Fica o aviso. 









quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Agora...

 ...veremos o que este Presidente de Câmara tem para os figueirenses ( e esta Presidente de Junta para os Buarqueiros ), mesmo os que não votaram nele ( e nela ).

 

Para já...

Serra da Boa Viagem:

Faltam asfaltar 5,2 kms para ter todas as vias que a servem em estado digno.

Repor a vista do Abrigo da Montanha ( bloqueada por eucaliptos ).

Os miradouros pavimentados e arranjados.

Criação de verdadeiros trilhos sinalizados.

Um projecto de reflorestação que se veja e que passe em primeira linha por limitar a disseminação da praga de acácias.

Acelerar o desmantelamento das infra estruturas desnecessárias da antiga fábrica de cimento, e devolver aquele espaço às pessoas, aproveitando ainda o edificado para novas valências de lazer e educativas.

 

 

A Continuar...



sábado, 5 de junho de 2021

Agora que aí vem o Verão...

 

A escolha não é apenas a de um turismo selvagem, sem limites, sem regras, sem respeito por outros interesses legítimos. Há alternativa: podem é não a querer.

 

MST - Jornal Expresso, 5 de Junho 2021

sexta-feira, 30 de abril de 2021

A Figueira não é Arouca.

 Já se conheciam os passadiços, e tomámos agora contacto com a ponte pedestre mais longa do mundo, 516 metros com outros 175 de vazio por baixo.

Já sabíamos dos milhares que todos os anos calcorreiam as margens e escarpas do Rio Paiva. Brevemente ficaremos conhecedores dos milhares que querem a adrenalina de atravessar o vazio a 175 metros do chão.

 

E a Figueira?

 

A Figueira não é Arouca. 

Não tem um Rio Paiva, nem tem tido governantes com visão e capacidade de fazer.

 

Mas a Figueira tem, além de tudo o mais, um maciço calcário que se ergue à cota máxima de 257 metros, com declives vertiginosos para a vastidão do Oceano Atlântico e uma ímpar riqueza geológica e paisagística.

 

Imagino um percurso, ecologicamente responsável, sobre passadiços, feito pelas vertentes e praias da face Norte e Oeste da Serra da Boa Viagem, com "estações" dedicadas à geologia, à paleontologia, à beleza das paisagens e ao estado selvagem das praias que vão da Murtinheira até à Pedra da Nau, à história da exploração mineira longa de 300 anos, e tudo o mais que outros mais conhecedores do que eu poderão sugerir e concretizar.

Imagino uma terra que não é só areia e mar para uso de 3 meses de turismo ad-hoc, mas sim um local onde se vai e se quer regressar pelo bem que faz à alma. A Figueira tem esse potencial. A serra da Boa Viagem é parte fundamental.


Não tem mal nenhum copiar aquilo que de bom vemos noutros locais 

 

Mas a Figueira não é Arouca. 

A Figueira é rica pelo que a natureza lhe deu, mas paupérrima nas pessoas que os Figueirenses têm mandatado para a governarem, e o horizonte próximo não augura grande mudança.

 

A Figueira não é Arouca, mas podia ser tão mais do que.


segunda-feira, 1 de março de 2021

Caricato é...

 ...encontrar a Polícia Marítima a ordenar as pessoas que caminham na praia  ( poucas ) a subirem para  marginal onde o movimento é maior. 

A lei é a lei, mas há leis mais burras do que outras.

 


 



E se...

 ...as entidades que governam o burgo, decidissem que a marginal do Tamargueira ao Teimoso, fosse fechada ao trânsito automóvel todos os sábados com excepção dos meses ditos de Verão?


A imagem de famílias a passear e miúdos a brincar em todo aquele espaço ocupado pela estrada, a mim trouxe-me um sentimento de satisfação. E a si?

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

Estacionamento PAGO em Buarcos.

Segundo se vai sabendo, a intenção é tornar pago o parque por baixo do Largo da Má Língua, e um outro a construir junto ao Skate Park.

Se bem que só a próxima reunião de câmara possa esclarecer alguns aspectos, desde logo surgem três questões:

 

1 - Parecendo que a ideia é lançar concurso público, porque é que não é a junta a fazer a exploração, fazendo sua a receita obtida? A junta não precisa de dinheiro?


2- Porquê apenas o parque por baixo da Má Língua, e não também aquele que vai das canhoeiras do meio até ao quiosque dos gelados, inclusive?


3 - Se vão construir um estacionamento no aterro do Skate Park, o acesso terá de ser feito por cima do calçadão. Pensaram no impacto que isso tem na mobilidade/lazer pedonal daquela área muito frequentada?


Após a dita reunião de câmara se perceberá melhor os contornos.

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Pequenas grandes coisas.

 A paisagem que se avista do Abrigo da Montanha de Oeste a Leste, é das mais bonitas que já tive o prazer de gozar. 

Actualmente encontra-se obstruída, assim:



Mas já foi assim em tempos não muito distantes:

As questões que se prendem com a compressão dos direitos privados, é matéria sensível, e por isso deve ser abordada com a maior ponderação, privilegiando a solução que menos "agrida" tais direitos, mas sempre solucionando o "problema" público adjacente.

A reposição da vista do Abrigo da Montanha deveria ser encarada como um objectivo de qualquer presidente da C.M.F.F. e igualmente de qualquer presidente da Junta de Buarcos. Aparentemente, não o é. A realidade é demonstrativa.

Tenho a certeza que é fácil saber quem é o dono do terreno onde se situam os eucaliptos que obstruem a vista. Tenho a certeza que quem quer que seja, será seguramente sensato e se disporia a conversar e ouvir os autarcas. Tenho a certeza que uma solução para o respectivo corte poderia ser alcançada com diálogo. Tenho a certeza que se a sensatez não imperasse, a lei e o interesse público poderiam colmatá-la. Gostaria de ter a certeza que os autarcas já pensaram nisso, e estão neste momento a estudar a forma de tornar novamente acessível a vista que se alcança do Abrigo da Montanha na Serra da Boa Viagem. Gostaria sobretudo que as minhas certezas se tornassem...certas e concretas.


Se não pensaram nisso, fica a minha humilde sugestão. Se já tentaram e não conseguiram, informem, expliquem porque é que não, ficando cientes de que há munícipes dispostos a dar o seu contributo  à coisa pública, como é o meu caso.


Não é uma crítica ( por agora ). É uma sugestão.


Vamos lá, senhores Presidentes?

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Incompetência, impotência, impreparação, impresciência, ineptidão, incúria, inação...

Quando não se consegue fazer valer a Lei e a sinalização, espetam-se uns pilaretes no chão.

 

Temos os pilaretes que merecemos. 


Buarcos é que merecia muito melhor.




P.S. Tudo para aumentar a mobilidade pedonal. Com tanto obstáculo, os peões vão mesmo ter de ser "móveis" e atentos.

quarta-feira, 17 de junho de 2020

Ironizemos um cadito.


Sempre tive para mim que o grande problema de verão em Buarcos era a quantidade absurda de gente que decidia montar andaimes no centro histórico nos meses de férias grandes.
Finalmente alguém teve a visão de perceber que a solução não reside em fiscalizar o estacionamento absolutamente desregrado que entope o centro histórico e grande parte das ruas e ruelas de Buarcos, mas sim os energúmenos que insistem, ano após ano, em encher as artérias com florestas de andaimes que impedem a circulação pedonal.
Já era tempo.
Bem hajam.

segunda-feira, 15 de junho de 2020

A cidade do "Tum-Tum" e o "turismo do pneu".

É quase impossível circular de carro na malha urbana e suburbana ( Serra da Boa Viagem incluída ) sem que o viajante seja acompanhado pela sofisticada sinfonia do "tum-tum", patrocínio dos buracos, remendos, desníveis e sucedâneos, em que esta cidade é pródiga.
Asfaltar é caro, e nunca ninguém na história da humanidade asfaltou tanto como os sucessivos elencos autárquicos desta gloriosa C.M.F.F.. Sim. Sim. Já sabemos. Também sabemos que folclore é menos perene mas muito mais apreciado, especialmente pela parte que os especialistas do voto identificam como os "grassroots voters", os quais são garantes de grande parte dos 13.000 votos com que se faz uma maioria absoluta( ista ).
E o "turismo do pneu" ( na formulação extremamente feliz de Fernando Campos, in "o sítio dos desenhos" ), perguntam vocês...??
É o turismo que temos de há muito ( décadas ), pouco lucrativo ( se me disserem que os estudos e análises provam o contrário, botem-me aí esse acervo probatório, e prometo que mordo a língua ) que não se incomoda com o "tum-tum", que isto do final da A14 até Buarcos via RUs, ainda vai tendo alguma "colidade asfaltiva" que a maior parte das ruas e ruelas só pode invejar.
"Prisso", venham de lá mais foguetes, mais novelas, mais palha, "cú" povo é sereno e os que votam sabem onde está a cornucópia de amanhãs que cantam.

Bom verão.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

E o Óscar vai para...

...as imbecilidades que saem da CMFF no seu conjunto. Concretizo.

Cruzamento da antiga Universidade Internacional da FF, onde confluem a Av dr. Joaquim de Carvalho, Rua do Pinhal, Rua dos Bombeiros Voluntários e Rua Heróis do Ultramar.
Tem semáforos, que há muitos anos estão desligados. Tirando uma ou outra buzinadela, um ou outro toque, e a falta de 2 STOP na Rua da Artilharia 2 e na Rua dos Bombeiros Voluntários ( as duas vias com menos tráfego e total prioridade ), nunca tal local careceu de regulamentação adicional, e no estado em que tem estado...flui.
Eis senão quando, indubitavelmente em favor de alguma experiência social que não alcanço, alguém na CMFF sugere e ordena que se liguem os semáforos. Pumba. Bosta da grossa.
Pessoalmente, sendo o caminho mais directo de casa para o escritório e deste para aquela, é para ali que aponto quando tenho de fazer aquele trajecto. Hoje, aos treze dias do ano da graça de dois mil e vinte, vindo pela Av. dr. Joaquim de Carvalho, da novel rotunda, e com 8 viaturas à minha frente ( nenhum deles semi-trailer ou equiparado ) até conseguir passar o semáforo agora ligado, precisei de 5 ( cinco, CINCO!!! ) ciclos de verde-vermelho, no total de praticamente 7 minutos, porque o dito tem um período de verde de 9 segundos ( contados a olhómetro ). É pá, a sério? Vocês não conseguem ser mais imbecis do que isto? Ele é doutores, ele é engenheiros, ele é técnicos superiores disto, daquilo e daqueloutro, e só conseguem obrar decisões de merda?
Eu sei que não está na moda, mas ganhem um bocadinho de vergonha e humildade, e tentem não ser tão flagrantemente incompetentes e imbecis!! Dasse!

Sugiro-vos que peçam licença para se ausentarem e não voltem, ou façam aí um daqueles contratos pouco publicitados, e ajustem a governação da câmara da Figueira em regime de outsourcing a quem perceba qualquer coisita disto.



sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

CLARO...que o alerta não serviu para nada!






Passados 2 meses, o resultado que na altura era previsível, concretizou-se.
Se na junta estivesse um gandarês ( e até os houve que eram grandes homens do mar ), podia dizer-se que é ignorância. Como quem lá está é homem da terra, só se pode dizer que ignoram os Buarqueiros.
Querem um bom exemplo da incompetência que grassa?
Ei-lo:

Há cerca de 1 mês, andaram 3 pessoas durante uns dias ( talvez uma semana inteira ), a tirar erva ( e, presumo, cagalhões, porque os cães não sabem ler ) do canteiro daquela cena que se destinava a levar aos 4 cantos do mundo, através dos turistas, a há muito extinta arte de secar raia em tranqueiras.
A escada ( o que resta dela ) das fotos está em lugar onde passam milhares de pessoas por dia, e pelo menos no verão transacto serviu milhares de pessoas para acesso à praia. É quase impossível que ninguém na junta tenha previsto aquilo, ou que ninguém lhes tenha feito notar a inevitabilidade do inverno destruir a escada.

De certeza que estavam distraídos com a escolha da cor para a cagada mais recente:






Entretanto, a rua de onde esta foto foi tirada, como tantas outras em Buarcos, tem um piso que envergonha.


Venha daí a piscina oceânica.

                                                                 ( Esta serve?? )